Auxílio Emergencial – 2,6 milhões de brasileiros terão que devolver o dinheiro

Auxílio Emergencial – 2,6 milhões de brasileiros terão que devolver o dinheiro

O Ministério da Cidadania lançou um ofício recentemente avisando que 2,6 milhões de brasileiros serão notificados via SMS para devolverem o dinheiro do auxílio emergencial.

A cobrança será enviada para quem recebeu o benefício indevidamente, de acordo com o governo federal.

Segundo as estimativas do Ministério da Cidadania, se cada uma das pessoas notificadas devolver pelo menos uma parcela de R$ 600, o governo vai recuperar cerca de R$ 1,57 bilhão.

Apesar das estimativas, o governo prevê que será necessário reforçar a cobrança.

As estimativas do ministério preveem o envio de 4,8 milhões de mensagens. Ou seja, além da cobrança inicial, o governo projeta quase o dobro de SMS para relembrar os 2,6 milhões de brasileiros sobre o ressarcimento do benefício.

O Ministério da Economia confirmou que as mensagens serão enviadas e as notificações começam a partir do próximo fim de semana.

Segundo o órgão, a operação custará R$ 162 mil aos cofres do governo.

Quem receber o SMS deve entrar no site do Ministério da Cidadania para receber as instruções e realizar a devolução.

O procedimento ocorrerá unicamente pelo endereço devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br/devolucao.

Logo, fique ligado para possíveis golpes envolvendo a situação.

O usuário pode acessar o sistema do governo e utilizar o CPF para gerar uma Guia de Recolhimento da União (GRU) para devolver o dinheiro recebido indevidamente.

O pagamento pode ser realizado em qualquer banco, de acordo com o Ministério da Cidadania.

Os brasileiros que forem notificados e não realizarem a devolução do dinheiro podem ser enquadrados na lei art. 2º da Lei n.º 13.982/2020 e responder criminalmente pelo ato.

Portal Voxnet – Fonte: TecMundo

WhatsApp – Portal Voxnet – Guaíra PR – (44) 9 9756 9107 – Envie sua matéria, foto ou vídeo – Seja nosso Repórter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *