Caso Daniel > Suspeito afirma à polícia que Edison Brittes queria ‘castrar’ o jogador

Eduardo Henrique da Silva, um dos seis suspeitos de participação na morte do jogador Daniel, afirmou em depoimento à Polícia Civil do Paraná nesta segunda-feira (12) que Edison Brittes saiu de casa na manhã do crime com o objetivo de “castrar” o atleta e abandoná-lo na rua, de acordo com o advogado de Eduardo, Edson Stadler.

Segundo o advogado, Eduardo Henrique da Silva, Edison Brittes e os outros dois suspeitos de participação no crime, Ygor King, de 19 anos, e David Willian da Silva, de 18 anos, agrediram o jogador quando ele ainda estava na casa e aceitaram voluntariamente participar da “castração” proposta por Edison Brittes quando saíram da casa da família.

Segundo o advogado, Eduardo não teria aceitado participar das agressões se soubesse que Daniel seria morto.

“Houve um convite do [Edison] Brittes para que eles fossem juntos para segurar o Daniel para que o Edison fizesse a castração.

Eles foram espontaneamente, voluntariamente”, disse o advogado Edson Stadler.

Edison Brittes confessou ter matado o jogador Daniel à polícia.

Ele afirmou qeu cometeu o crime porque Daniel tentou estuprar a mulher dele.

G1 Paraná

WhatsApp – Portal Voxnet – (44) 9 9756-9107 – Envie sua matéria, foto ou vídeo – Seja nosso Repórter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *