Curiosidade > Cuidar da saúde bucal pode diminuir o risco de disfunção erétil

O corpo humano é semelhante a uma máquina, e funciona por meio do trabalho em conjunto das suas diversas “engrenagens”.

Ou seja, ele está interligado.

Algumas dessas relações entre seus órgãos e estruturas, porém, às vezes surpreende.

Por exemplo: você sabia que a sua saúde bucal tem efeitos sobre os riscos de disfunção erétil?

Um estudo da British Dental Health Foundation mostrou que homens que cuidam da sua saúde bucal têm menor chance de desenvolver disfunção erétil.

Publicada em janeiro de 2019, no periódico científico Journal of Sexual Medicine, a pesquisa reforça algo que já havia sido percebido por pesquisadores Turcos, em 2016.

A disfunção erétil, também chamada de impotência sexual, acontece quando o homem não consegue manter uma ereção rígida o suficiente para uma relação sexual satisfatória.

Segundo o estudo recente, o problema é causado pelo mesmo tipo de inflamação que provoca a gengivite. A gengivite está diretamente relacionada ao pouco cuidado com a saúde bucal do indivíduo.

De acordo com os especialistas, gengivite e disfunção sexual são causados pelo aumento da proteína C-reativa no organismo.

Produzida no fígado, a substância é um indicativo de que processos inflamatórios estão em curso.

O estudo ainda destacou que 4 em cada 5 homens com disfunção erétil severa também sofrem com a gengivite.

A estatística indica que a gengivite pode aumentar em 2,85 vezes as chances de que um homem desenvolva impotência de ereção.

Deste modo, é fundamental manter a escovação adequada dos dentes no cotidiano.

O cuidado vai diminuir as chances de ocorrência da gengivite e, consequentemente, dos problemas sexuais masculinos.

Segundo dentistas, o ideal é realizar a escovação dos dentes ao menos três vezes ao dia, ou então ao fim de cada refeição.

Lembre-se, ainda, de utilizar fio dental.

Por que a disfunção erétil acontece?

Os quadros de impotência sexual podem ocorrer por diversos fatores. Como distúrbios psicológicos, o alcoolismo, tabagismo e doenças hormonais, neurológicas e vasculares.

No grupo das três últimas, é possível citar o diabetes, problemas endócrinos, a doença de Parkinson, lesões na medula, aterosclerose e hipertensão, entre outras.

Para o tratamento da condição, é necessário definir a sua causa.

Por isso, o homem deve buscar o auxílio médico assim que perceber problemas frequentes de ereção.

Aqui, é preciso destacar que dificuldade de ereção pode acontecer em momentos esporádicos, como resultado de uma série de fatores.

Porém, sua frequência geralmente indica uma disfunção, que merece cuidados.

Tratamentos para a impotência sexual

Realizado o diagnóstico, o médico pode fazer a indicação de diferentes tratamentos, como o uso de medicamentos específicos para disfunção erétil.

É importante fazer o uso do remédio apenas com a prescrição médica, e com a dosagem correta.

Assim, o resultado da intervenção será completamente benéfico, em vez de trazer mais problemas ao usuário.

Além do uso de medicamentos, o tratamento da disfunção erétil pode ser realizado por meio do controle dos fatores de risco.

Ou seja, do cuidado com o diabetes, hipertensão ou qualquer outro fator associado.

É por esse motivo que, por vezes, a consulta a um Clínico Geral pode ser suficiente.

Em casos mais delicados, o paciente pode ser encaminhado para o atendimento de um urologista.

Especialista na saúde do homem, o médico indicará o uso de tratamentos como injeções de vasodilatadores e da bomba de vácuo.

Como último recurso, há as chamadas próteses penianas, que podem curar a impotência sexual masculina.

Agora você já sabe tudo o que precisa sobre a relação entre a sua saúde bucal e a disfunção erétil.

Escove os dentes com a regularidade indicada, e tenha atenção a qualquer sinal de problemas na gengiva e/ou de disfunção.

Caso eles ocorram, busque o auxílio médico.

Fontes: O Globo e Terra

WhatsApp – Portal Voxnet – (44) 9 9756-9107 – Envie sua matéria, foto ou vídeo – Seja nosso Repórter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *